[ editar artigo]

AULA DADA, AULA ESTUDADA. UMA ORIENTAÇÃO SUPERADA

AULA DADA, AULA ESTUDADA. UMA ORIENTAÇÃO SUPERADA

 

 

Tenho um enorme respeito pelo professore Pierluigi Piazzi, já falecido, um grande professor de física e um estudioso dos processos de aprendizagem, que levou para a prática de seus alunos e de outros docentes, com as obras que escreveu. Tenho 2 de seus livros.

Em grande parte, foi em seus estudos e teorias que centenas de professores se inspiraram e que milhares seguem ainda hoje. No entanto, aqueles que hoje a seguem normalmente não leram seus livros, nem estudaram psicologia do aprendizado, seguem como reflexo do senso comum, de algo que foi estudado, teorizado e comprovado. Há 30 anos.

Não tenho a menor dúvida de que todos os estudos foram fundamentais e representaram um grande avanço na compreensão da mente e do comportamente humanos no processo de aprendizagem, em particular a aprendizagem escolar, que demanda um estudo, na medida em que são diversos temas diariamente e nenhum deles de escolha dos alunos.

Essa teoria é essa a base do conceito de "Aula dada, aula estudada", que considera que fixamos e aprendemos efetivamente quando estudamos no mesmo dia, ou poucas horas depois, aquilo que nos foi ensinado em uma aula.

Existem então duas questões:

Uma mais teórica, que vale a pena ser pensada e discutida, apesar de nós, professores/as, termos  limitações, pois envolvem a psicologia mais tradicional e também estudos específicos e em novas áreas ou dimensões como a Neurociência aplicada à educação e mesmo a psicologia positiva que, na última década trouxeram novas teorias e criaram uma nova dimensão no processo de aprendizagem.

Qual a melhor teoria? qual está correta?
Não são essas as perguntas e não precisamos de uma resposta absoluta. É como pedir a 2a ou 3a  opiniões de médicos num caso de doença, para que depois tomemos uma decisão. Poderíamos ter 3 opiniões concordantes ou divergentes, mesmo de 3 excelentes profissionais.

No entanto existe um elemento prático, factual, que nos ajuda muito a tomar uma decisão; em minha opinião.

Se você está em uma sala de aula com 35 alunos ou, em um cursinho pré-vestibular, uma sala com 150 alunos e termina a aula do dia, fechando um determinado tema, completando um determinado "conteúdo", como você pode dizer a todos que façam a mesma coisa horas depois de sua aula?
Se você considera que ele deve estudar a "aula dada", a sua aula dada, é coerente que considere a mesma coisa para as aulas de seus colegas, o que faz com que todos os estudantes da mesma sala, se tiveram 6 aulas no dia, devem estudar os mesmos 6 temas, os mesmos conteúdos. 

No entanto a coisa mais óbvia do mundo é que cada estudante desta sala tem características particulares, eles não têm as mesmas habilidades e competências cognitivas, eles não têm as mesmas condições materiais (espaços e tempos) eles não possuem o mesmo sonho, o mesmo objetivo quando pensamos no pré-vestibular.

Carreiras diferentes, em Universidades diferentes, que realizam exames diferentes, onde as matérias podem ter pesos diferentes. Porque todos os alunos devem estudar a mesma coisa?
Alguém dirá: porque em mais de 95% dos vestibulares caem todas as matérias, mesmo que com pesos diferentes e é verdade. Mas eu olho para o estudante e repetirei, não apenas do ponto de vista do aprendizado cognitivo, mas enquanto uma pessoa, adolescente, cheio de contradições e aflições, cheio de expectativas e elas variam de um/a para outro/a, por isso é necessário um olhar particular, uma escuta, uma atenção e por conseguinte, um planejamento de estudos individualizado.

Se você acredita no "ponha a bunda na cadeira e estude", sinto muito, nem da psicologia mais básica você se lembra.

Um estudante precisa aprender e dominar muitos conteúdos e isso você sabe. Mas é só isso? Precisa de mais, muito mais, precisa de conexão pessoal, equilíbrio, segurança no processo de preparação para um vestibular (ou concurso).

Por conta dessas questões foi que, em 2015, mantive minhas aulas de História e fui buscar mais informações: coaching, mentoring, controle de ansiedade, disciplina positiva, conhecimentos que me permitissem contribuir de outra forma e, nesse ano de 2021, é minha única atividade: Planejamento de Estudo Personalizado, para ajudar estudantes em seus processos de preparação. Parte desse trabalho eu coloquei num GUIA que tenho divulgado e que, com certeza, te permitirá entender um pouco mais de meu questionamento inicial e como trabalhar de forma alternativa e mais eficiente.

Se quiser baixar o GUIA - clica aqui - ele é gratuito e com certeza te colocará num patamar diferente na relação com seus alunos. Se você preferir pode asistir a uma APRESENTAÇÃO GRAVADA, na qual explico um pouco sobre esse trabalho de Suporte Personalizado ao Aluno

Prof. Claudio Recco
Maio de 2021

 

Educação do Futuro
Claudio Recco
Claudio Recco Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você