[ editar artigo]

BULLYING, CYBERBULLYING E O DIA INTERNACIONAL DE COMBATE

BULLYING, CYBERBULLYING E O DIA INTERNACIONAL DE COMBATE

 

Na Noruega, desde 1973, quando o psicólogo Dan Olweus nominou bullying ao descobrir que três pacientes adolescentes e estudantes tiraram suas próprias vidas, e assim se iniciaram o avanço dos estudos científicos em vários países do mundo.

Os estudos sobre bullying no Brasil iniciaram-se em 2002, com o médico pediatra Dr. Lauro Monteiro, visitando instituições em Londres e Paris, trazendo materiais e informações para efetuar o desenvolvimento do Programa de Redução do Comportamento Agressivo entre Estudantes com 5.482 estudantes, em nove escolas públicas e duas privadas no Rio de Janeiro.

Esta pesquisa resultou na primeira obra publicada em 2004, intitulada Diga não ao bullying: programa de redução do comportamento agressivo entre estudantes, com autores brasileiros, Dr. Aramis A. Lopes Neto, médico pediatra e a psicopedagoga Lucia Helena Saavedra.

O bullying e o cyberbullying é um fenomeno mundial e grupal que nasce dentro da escola, onde os alunos sofrem perseguição, intimidação e humilhação com maldade planejada e repetitiva por parte de seus próprios colegas desde o ensino infantil até o ensino médio. Hoje, já sabemos que crianças a partir de três anos de idade, já são capazes de provocar ou sofrer bullying, porque já passaram pela constituição da personalidade.

Esta violência escolar tem como consequências baixo rendimento escolar, evasão escolar, danos físicos e psicológicos e os extremos da violência com depressão, autolesão e suicídio; o mais grave é o homicídio praticado por crianças a partir de 11 anos de idade.

Os índices de bullying no Brasil são alarmantes, de acordo com pesquisa realizada por meio de questionário à professores, gestores e diretores no ano de 2018, e a publicação dos dados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mostrou que 28% dos diretores escolares relataram atos de intimidação ou bullying entre estudantes, o qual é muito alto pela média da OCDE (14%) (OECD, 2019). 

Diante deste quadro de violência entre os próprios alunos em todas as escolas do mundo e das graves consequências do bullying e do cyberbullying, atentaram alguns órgãos representativos da sociedade, a UNESCO, ONU, OMS, às políticas públicas na elaboração de leis nacional, estadual ou municipal e os campos de pesquisas mundiais acadêmico-científicos; para a UNESCO proclamar a primeira quinta-feira do mês de novembro da cada ano a data para lembrar as prevenções contra este fenômeno grupal, vejamos:

PROCLAMATION OF AN INTERNATIONAL DAY AGAINST VIOLENCE
AND BULLYING AT SCHOOL, INCLUDING CYBERBULLYING

OUTLINE

Background: This item was examined by the Executive Board at its 207th session at the request of France, Mexico and Morocco.

Purpose: The present document transmits to the General Conference the recommendation made by the Executive Board at its 207th session to proclaim the first Thursday of November of every year as the “International day against violence and bullying at school, including cyberbullying”, under the auspices of UNESCO, to take place for the first time in 2020.

Decision required: Paragraph 15.

  1. Decides to declare the first Thursday of November of every year International Day against Violence and Bullying at School, including Cyberbullying, under the auspices of UNESCO, to take place for the first time in 2020;

 

A proclamação de um dia internacional, leis específicas, delegacias cibernéticas, orientações legais, regulamentos de Órgãos internacionais; no entanto, é imprescindível que o Estado divulgue as práticas bem-sucedidas e possibilite condições para executá-las de forma continua.

Fontes para consulta:

FELIZARDO, A. R. (2017). Bullying escolar: prevenção, intervenção e resolução com princípios da Justiça Restaurativa. Curitiba: Intersaberes.

UNESCO – United National Educational, Scientific and Cultural Organization. Proclamation of an International Day Against Violence  and Bullying at School, including Cyberbullying. Nov. 2019. Disponível em:  https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000371434

Aloma Ribeiro Felizardo é doutoranda em psicologia social, mestranda em sistema de resolução de conflitos, pedagoga, mediadora de conflitos certificada pela ESMP.

Idealizadora desde 2008 do portal  https://www.bullyingcyberbullying.com.br/

Criadora da ferramenta pedagógica Círculo de Diálogo Respeitoso: a incrível ferramenta em que os alunos realizam a prevenção.

Palestrante internacional e autora de seis obras acadêmico-científica-didática.

Atua em palestras e capacitação de professores na prevenção do bullying e cyberbullying nas escolas.

 

 

 

Educação do Futuro
Ler conteúdo completo
Indicados para você