[ editar artigo]

O que o filme Divertidamente nos ensina sobre saúde mental

O que o filme Divertidamente nos ensina sobre saúde mental

O filme Divertidamente, produzido pelos estúdios Disney Pixar, acompanha a jovem Riley em um episódio marcante de sua vida.

Alguns processos psicológicos dela durante esse período são mostrados de maneira visual e antropomorfizada, facilitando a compreensão da relação que existe entre os sistemas cognitivos, fisiológicos e comportamentais.

Vamos analisar alguns dos mecanismos da mente que podem nos auxiliar a adquirir mais conhecimento sobre a psique humana.

ATENÇÃO: contém spoilers.

Memória

Pixar© Disney Pixar

A memória base é apresentada como um campo repleto de lembranças marcantes que, em última instância, formam “ilhas” que compõem os aspectos mais fundamentais da personalidade da personagem.

É possível relacionar o mecanismo representado no filme com a memória de longo prazo, pois é mostrado que as memórias de eventos ocorridos no passado podem ser recuperadas e levadas de volta à mente consciente.

O esquecimento é retratado no filme como uma limpeza das esferas de memória armazenadas que já perderam a “cor”, sendo levadas a uma espécie de limbo. 

Atenção e consciência

© Disney Pixar

A atenção é retratada como sendo controlada, em algumas ocasiões, pelo personagem que representa a emoção do medo. Situações que põem em risco a integridade física e mental da personagem principal são freadas pela sensação de receio, requisitando mais atenção nas circunstâncias e nos arredores.

Também o medo recobra o estado de vigília da personagem, fazendo com que ela acorde após um pesadelo. O que, no pesadelo, é representado como uma ameaça durante o estado de relaxamento do sono, faz com que ela recobre a consciência e acorde de forma abrupta.

Afetividade

© Disney Pixar

Os sentimentos retratados no filme (Alegria, Tristeza, Medo, Nojo e Raiva) foram antropomorfizados para uma melhor compreensão das relações entre elas.

Humores (estado emocional de base) podem ser vistos no filme de forma ampla, de acordo com os ambientes em que Riley se encontra. Antes da mudança, o mundo era percebido como cheio de cor e vivacidade. Após a mudança e as decepções sofridas por ela, tudo que a cerca é dessaturado, pálido e sem cor, posteriormente fazendo com que até mesmo a personagem se “apague”, se adaptando ao ambiente.

Emoções (reações momentâneas) são mostradas por meio das reações impulsivas e reacionárias de Riley, principalmente quando os personagens Nojo, Medo e Raiva tomam controle.

Sentimentos (afetos estáveis) são mais duradouros e frequentemente associados a lembranças. No filme, são majoritariamente regidos pelas interações entre as personagens Alegria e a Tristeza.

Como aplicar no contexto da saúde mental?

O aprendizado dos processos psicológicos básicos não se limita apenas aos profissionais das áreas da saúde (psicólogos, neurologistas e psiquiatras), mas também pode ser de utilidade para todos aqueles que veem a necessidade de conhecer mais a si mesmos e de ajudar os outros.

O filme ajuda nesse sentido, pois mostra de maneira lúdica e fácil de entender que os sentimentos, experiências e circunstâncias da vida podem nos moldar e fazer com que nos tornemos seres mais complexos, com variadas nuances emocionais.

Às vezes, podemos sentir que determinadas mudanças nos causam desconforto e insegurança. Mas se usarmos essas ocasiões como oportunidades para compreender melhor nossos próprios sentimentos, medos e dúvidas vamos conhecer melhor a nós mesmos e provocar o nosso amadurecimento emocional durante o processo.

DISCLAIMER: Eu não sou proprietário de nenhuma das imagens apresentadas no artigo. Todos os direitos são reservados aos proprietários legais, os Estúdios Disney e Estúdios Pixar.

Artigo baseado em trabalho da disciplina de Processos Psicológicos Básicos, ministrada pela Profa. Fernanda Pasquoto de Souza na Universidade Luterana do Brasil, realizado em setembro de 2021.

Educação do Futuro
Ler conteúdo completo
Indicados para você