[ editar artigo]

Complexidade e simplicidade

Complexidade e simplicidade

do Blog Domlexia

Interdependência é um conceito que avalia que todas as ações individuais afetam o todo, bem como o todo afeta o indivíduo. Não conseguimos isolar um do outro.

Quando estamos analisando comportamentos, situações e características individuais, esse fator deve ser levado em consideração. Por exemplo, quando avaliamos uma pessoa com dislexia, não há como desconsiderar o meio onde ela está inserida, as pessoas próximas e suas contribuições. Devemos levar em conta se a pessoa teve acesso a intervenções precoces, como era o ambiente escolar, qual foi o apoio recebido pela família, se houve incentivo para superar dificuldades, se as habilidades foram encorajadas e tantas outras situações e ações que podem influenciar na dislexia da pessoa em questão.

Existe interdependência entre a dislexia, o meio e às pessoas do entorno.

Interconexão é um outro conceito importante neste contexto. Interconexão é a ligação entre dois ou mais elementos, sistemas, indivíduos etc. Voltando para o nosso exemplo da dislexia, ela não existe como característica única da pessoa. Outras características pessoais irão influenciar a relação com a dislexia, falamos aqui desde questões emocionais, como por exemplo uma ansiedade, até as questões da comorbidade com outros transtornos.

Vamos abrir um espaço para explicar o termo comorbidade, que aqui quer dizer a coexistência de um ou mais transtornos neurobiológicos.

No caso da dislexia, é fundamental falarmos em comorbidade. 80% das pessoas com dislexia tem também alguma outra questão, sendo as principais a discalculia, a disgrafia e o TDAH (veja a pesquisa).

Isso nos leva a ter um olhar de complexidade para as dificuldades de aprendizagem. Não é possível pensar somente na questão da leitura e escrita, é necessário olhar a relação com os conceitos matemáticos, a escrita à mão, a atenção, o foco, a memória, a autoestima e todo o entorno, considerando por onde aquela pessoa passou, quais foram os incentivos ou as cobranças, se houve acolhimento emocional etc.

Como costumamos dizer: Não há um disléxico igual ao outro. 

Nesse momento você pode estar ficando apreensivo(a) com a complexidade da situação e como você vai fazer para olhar tudo isso e considerar todos esses fatores da interdependência e na interconexão no momento de apoiar uma pessoa com dislexia.

Não fique preocupado(a)!!! É aqui que entra a simplicidade.

O que precisamos é de um olhar atento e prontidão. Já vimos que não há “receita de bolo”, a atividade ou estratégia que será eficiente para todos. Lógico que temos alguns caminhos já mapeados pela ciência, como o uso do método fônico na alfabetização para gerar melhores resultados de aprendizagem. Veja também outros recursos amigáveis no e-book de materiais adaptados da Domlexia. No entanto, como o método será aplicado, também pode ser diverso.

Atenção e prontidão irão garantir que ao aplicar as estratégias indicadas na aprendizagem de quem tem dislexia, você esteja sempre observando a evolução, a retenção daquele aprendizado e seja rápido na correção de rumo, caso seja interessante mudar de estratégia porque a escolhida não está surtindo efeito.

A educadora ou educador com atenção e prontidão fazem a diferença para todos os estudantes, com ou sem dislexia, são todos únicos em seu processo de aprendizagem, em suas dificuldades e habilidades, em suas singularidades.

 

Educação Inclusiva

Educação do Futuro
Nadine Heisler
Nadine Heisler Seguir

Cofundadora da Plataforma Domlexia, com soluções digitais de facilitação de aprendizagem para neurodiversos, Nadine tem mais de 25 anos de experiência em educação e treinamento, é mãe de 4 meninas e fascinada pelo poder de transformação da educação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você