[ editar artigo]

Pedagogia finlandesa é destaque em pós-graduação voltada para professores

Pedagogia finlandesa é destaque em pós-graduação voltada para professores

A pedagogia finlandesa chegou ao Brasil por intermédio da InterEdTech, em parceria com a Universidade de Helsinque, a partir do curso Star Lessons.

A pós-graduação em formação docente tem o intuito de incentivar o ensino com foco no aprendizado de cada aluno e aluna, a partir de moldes implementados na Finlândia.

Nesta publicação, explicaremos a proposta da educação finlandesa, além de uma entrevista exclusiva com o responsável pelo setor acadêmico da InterEdTech, Dado Guimarães. Confira!

Pedagogia finlandesa

Você provavelmente está questionando algo do tipo: “qual é a importância da pedagogia finlandesa” e “o que ela tem de tão diferente?”

A Finlândiaé um dos países com o melhor índice educacional no mundo, tanto em termos metodológicos quanto em infraestrutura e currículo escolar. Em 2018, o país empatou com o Canadá no 2º lugar do ranking mundial do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), nas categorias de alfabetização e leitura.

Enquanto isso, o Brasil ocupou a 57º posição no ranking geral, dentre 77 países. Desde 1950, a Finlândia trabalha em prol de um projeto educacional que reduza a desigualdade social. Como iniciativa, segue alguns pontos básicos:

  • Gratuidade escolar, desde o ensino básico até o ensino superior
  • Os alunos pagam apenas pelos materiais e pelo transporte
  • O governo concede um incentivo financeiro aos estudantes de baixa renda
  • O país não adota ranking nas escolas nem universidades
  • As instituições de ensino têm liberdade para estabelecer seu próprio modelo curricular e avaliativo
  • Provas e avaliações são uma forma de checar o desenvolvimento do aluno, não gerar ranking de notas e disputa entre salas de aula e outras escolas.

Agora que você entendeu algumas diferenças entre o Brasil e a Finlândia, que tal conferir uma pós-graduação focada no assunto? Vejamos, a seguir!

Pós-graduação Star Lessons

Pela primeira vez os professores brasileiros terão a oportunidade de aprender estratégias pedagógicas que destacaram a Finlândia em uma das melhores posições no ranking mundial. E, melhor, a partir de uma pós-graduação com Ensino a Distância (EaD).

O programa Star Lessons é uma parceria entre a InterEdTech e a Universidade de Helsinque. São quatro módulos, com cerca de 360 horas de aulas gravadas e trabalho de conclusão de curso opcional.

Cada aula é dividida em vídeos de 7 minutos, com uma proposta de reflexão e atividade prática. Além disso, uma vez por mês acontece uma aula ao vivo para tirar todas dúvidas e promover discussões.

A metodologia segue com base uma postura ativa, que permite que o aluno aplique os conceitos de forma prática e rápida. O conteúdo do curso de formação docente é inteiramente traduzido para o português e as aulas dubladas.

Aproveitamos a oportunidade para conversar com responsável pelo setor acadêmico da InterEdTech, Dado Guimarães, para saber sobre a sua trajetória como Cônsul Honorário da Finlândia, como surgiu a oportunidade do programa Star Lessons e sua experiência com a pedagogia finlandesa.

Abaixo, confira a entrevista na íntegra:

Conte um pouco sobre você e como se tornou Cônsul Honorário da Finlândia. Qual é o seu papel aqui no Brasil?

Dado Guimarães: Bom, foi a convite do embaixador Jari Luoto, por indicação do meu querido amigo Eduardo Pereira Guimarães (in memoriam) que, na época, era secretário de Relações Internacionais do Estado do Paraná e da Prefeitura de Curitiba. Eles estavam buscando alguém que pudesse aproximar a Finlândia do Estado do Paraná, principalmente na área da Educação, além de energia limpa, papel e celulose, entre outras.

No honroso papel de Cônsul da Finlândia tive a oportunidade de estar em duas missões oficiais na Finlândia e ser recebido pelo Presidente da República.

Conte a história das tentativas de trazer formação sobre metodologias de ensino finlandesas para o Brasil. Em que sentido deram certo? Quais foram os desafios?

Dado Guimarães: Já no papel de Cônsul, o primeiro desafio foi trazer o embaixador da Finlândia para uma visita oficial ao Estado do Paraná e à Prefeitura de Curitiba. O objetivo era mostrar os desafios de aproximar culturas tão distintas, mas com um grande potencial de intercâmbio de boas práticas. Organizei a visita dos três últimos embaixadores, o que culminou em acordos de cooperação técnica com o Estado e com a Prefeitura de Curitiba. Foi um sucesso!

Na área de educação, organizei um encontro entre professores e autoridades da Finlândia, do Estado e da Prefeitura, para apresentarmos o modelo finlandês de educação e encontrarmos possibilidades específicas e práticas de cooperação.

Foram mais de 400 participantes. Saímos do encontro com um modelo de intercâmbio de professores assinado com a Prefeitura de Curitiba. A secretária, Maria Silvia Bacila, e o prefeito, Rafael Greca, estavam presentes no evento, além do embaixador da Finlândia, Markku Virri, e da representante da Ministra da Educação da Finlândia. Foi uma experiência muito boa!

Os professores curitibanos tiveram a oportunidade de conhecer de perto o modelo finlandês. Em função do alto custo do deslocamento internacional, o programa ficou restrito, mas agora queremos mais.

O novo programa on-line que estamos desenvolvendo com o formato de pós-graduação, além de dar aos professores de todos os Estados do Brasil o título de especialistas, foi construído para ser acessível financeiramente a qualquer Estado, Prefeitura ou professor da iniciativa pública ou privada que tiver o interesse em se aprofundar nos modelos pedagógicos finlandeses, contextualizados para a realidade brasileira, com aplicações imediatas e muito práticas.

Quais são os principais pilares da educação finlandesa que a tornam tão diferenciada no mundo?

Dado Guimarães: Na minha visão, algo que chamou a atenção desde que comecei a me aprofundar no modelo finlandês, em primeiro lugar, é a individualidade do aluno, suas características, seu perfil e sua forma de aprender. Então, o aspecto pedagógico é a prioridade. Depois, o conteúdo. Basicamente, "como aprender" é o fator que mais importa! Despertar a curiosidade para explorar temas que perpassam por toda a vida daquele aluno ou aluna. A liberdade de escolha melhora a qualidade de vida e o desenvolvimento das habilidades acontece da sala de aula para o mundo. Enfim, preparamos neste curso uma imersão no modelo finlandês para que o professor possa transformar a vida de seus alunos com técnicas pedagógicas baseadas em pilares que já demonstraram na prática a chave do sucesso da educação da Finlândia.

Por que você acha que as metodologias de ensino finlandesas podem ser adequadas para aprimorar a atuação docente de professores brasileiros? Os contextos não são muito diferentes?

Dado Guimarães: Na verdade, as metodologias praticadas na Finlândia são reconhecidas mundialmente como práticas que colocam o aluno no centro do processo de aprendizagem. Em qualquer lugar do mundo, inclusive no Brasil, os alunos aprendem mais quando se trabalha com o seu conhecimento prévio, quando se aguça a sua curiosidade, quando se permite que experimentem e observem ou quando se ensina a documentar processos de aprendizagem.

São essas as práticas que são desenvolvidas no Star Lessons, passo a passo. Levando em conta a experiência prévia dos participantes, apresentaremos situações que podem ser aplicadas imediatamente em qualquer sala de aula, sem necessidade de um recurso tecnológico sofisticado.

Qual é a vantagem de o curso ser totalmente a distância?

Dado Guimarães: A vantagem é a possibilidade de aumentar a escala de participação e reduzir o preço. Todos os professores brasileiros que se interessarem terão acesso ao curso, que terá momentos síncronos e assíncronos em um design instrucional para engajamento e aproveitamento máximo do conteúdo a ser explorado.

Por que a InterEdTech se interessou por trazer o Star Lessons, um curso totalmente a distância, sobre metodologias de ensino adotadas na Finlândia para o Brasil?

Dado Guimarães: Quando comecei a construir o programa com a Prefeitura de Curitiba, um dos empecilhos foi o custo do curso, principalmente por ser presencial. Trazer os professores da Finlândia e levar professores para Helsinque refletia em um alto custo de deslocamento. Com o avanço das plataformas LMS e da educação on-line, com a mesma qualidade, podemos aproximar as boas práticas do modelo finlandês dos professores brasileiros e, melhor, com um custo acessível para todos e todas.

O que a InterEdTech está fazendo para que esse curso seja altamente atraente e eficaz no Brasil?

Dado Guimarães: A contextualização e a tropicalização do curso é muito importante. Eliminar a barreira da língua e trazer as diferentes realidades de um Brasil continental foram pontos-chave para o sucesso do programa do curso. Além do mais, o conteúdo pedagógico deve ser de aplicação imediata em sala de aula por parte dos professores brasileiros que participarem do curso.

Como o Star Lessons será ofertado no Brasil?

Dado Guimarães: Por meio de universidades e faculdades parceiras do programa, que podem procurar a InterEdTech para saber como fazer parte desta rede. Esperamos por vocês

Estação Finlândia

Educação do Futuro
InterEDTech Tecnologias Educacionais
InterEDTech Tecnologias Educacionais Seguir

Promovemos oportunidades de novos negócios educacionais para Instituições de Ensino Superior a partir da oferta de cursos remodelados para atender as principais tendências profissionais e acadêmicas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você