[ editar artigo]

Quais as diferenças entre o EAD e o ensino remoto emergencial?

Quais as diferenças entre o EAD e o ensino remoto emergencial?

Em razão da pandemia do coronavírus, a rotina de bilhões de pessoas foi completamente transformada. Como o isolamento social é a única medida efetiva para evitar o contágio, as instituições de ensino precisaram fechar as portas e adaptar-se ao novo normal, com aulas a distância.

Por esse motivo, o assunto principal entre alunos, pais, professores e gestores é o suporte remoto emergencial. Muitas pessoas têm dúvidas sobre o novo modelo implantado pelas instituições de ensino e costumam compará-lo de forma equivocada ao EAD, exemplo tradicional de educação a distância. Para compreender as diferenças entre os dois métodos, é importante saber o que cada um significa.

O que é ensino remoto emergencial?

O ensino remoto emergencial (ERE) é um sistema de caráter extraordinário e temporário, utilizado quando professores e alunos estão impossibilitados de frequentarem presencialmente as instituições de ensino e, por esse motivo, as aulas precisam ser transferidas para um ambiente virtual.

O objetivo principal do ensino remoto emergencial é permitir que as instituições de ensino consigam cumprir seus cronogramas em épocas onde as circunstâncias impossibilitam a reunião de professores e estudantes, evitando maiores impactos na aprendizagem.

O propósito é utilizar a tecnologia para conseguir manter o mesmo formato das aulas presenciais e, por essa razão, alunos e professores devem participar em tempo real, nos mesmos dias e horários definidos anteriormente para as atividades presenciais.

O que é EAD?

A EAD (sigla para educação ou ensino a distância) é uma modalidade de ensino moderno onde as salas de aula tradicionais são substituídas por aulas em um ambiente virtual. Desse modo, professores e alunos não precisam deslocar-se até as instituições de ensino para ministrarem ou assistirem as aulas, já que tudo ocorre virtualmente.

A principal característica do ensino a distância é a flexibilidade dos horários, visto que a maior parte das aulas é gravada. Assim, os alunos e os professores podem adaptar as atividades de acordo com a sua rotina. Essa modalidade de ensino pode ser implantada na educação básica (educação de jovens e adultos -EJA -ou educação profissional técnica de nível médio) e na educação superior.

Outro aspecto importante sobre a EAD é a existência dos tutores -profissionais responsáveis por auxiliar os estudantes na EAD -respondendo dúvidas e questionamentos e ajudando-os a solucionar eventuais problemas. O principal objetivo dos tutores EAD é dar suporte aos alunos para garantir o aprendizado.

Quais as principais diferenças entre o ensino remoto emergencial e a EAD?

A única semelhança entre o ensino remoto emergencial e a EAD é o uso da tecnologia para permitir que professores ministrem e alunos assistam aulas em um ambiente virtual, ou seja, sem a necessidade de deslocamentos até a instituição de ensino.

A maior diferença é o fato da EAD ser uma modalidade de ensino, planejada desde o princípio para um ambiente virtual, com sua própria metodologia, enquanto o ensino remoto emergencial é apenas uma virtualização do ensino presencial, utilizado em momentos de crise e, geralmente, em períodos mais curtos.

Muitas instituições de ensino enfrentarem dificuldades na transição das aulas presenciais para o ensino remoto, pois não era uma situação imaginada e grande parte nunca implantou atividades a distância para auxiliar as aulas presenciais. Essa ação foi a opção encontrada pelas instituições como uma forma de garantir a continuação das aulas e evitar prejuízos na aprendizagem dos alunos.

Com o passar dos meses, gestores, professores e estudantes estão aprendendo a extrair o melhor do ensino remoto –imprescindível no momento, para garantir a saúde de todos.

A EAD é uma modalidade em ascensão, graças às suas particularidades que contribuem para que mais pessoas consigam um diploma reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Como não é necessário nenhum deslocamento, a economia de tempo é grande, o que facilita a vida dos estudantes que também trabalham. Além disso, a flexibilização dos horários permite que as pessoas encaixem as aulas no período do dia ou da semana que acreditarem mais vantajoso para elas, com a liberdade de mudar sempre que necessário.

TEO - Tecnologias Educacionais Online

Educação do Futuro
Educação do Futuro
Educação do Futuro Seguir

Educação é de todos e para todos. Esta comunidade tem o objetivo de abrir a reflexão deste tema para todas as pessoas que, direta ou indiretamente, estão ligadas à educação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você