[ editar artigo]

TICS: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA

TICS: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA

As TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação), podem ser entendidas como um conjunto de recursos tecnológicos que proporcionam um novo modo de se comunicar e informar por meio das funções de hardware, software e telecomunicações.

A utilização de tecnologias da informação e comunicação na educação é, atualmente, uma possibilidade sempre crescente. Até mesmo na área de “educação infantil” esses recursos tecnológicos são úteis e necessários. Hoje, fazem parte da vida dos alunos, de suas famílias e da sociedade em geral em ritmo crescente.

Já é uma verdade admitida por todos que o uso de recursos de TICs na educação, são de grande ajuda e auxiliam o aprendizado. Os educadores, de forma geral, precisam acompanhar e se preparar para o uso da tecnologia em todas as áreas.


Os alunos, de forma geral, já entraram em contato com esse mundo tecnológico. É preciso que os professores estejam acostumados e saibam utilizar de forma eficiente esse conhecimento. Precisam participar de redes sociais, aprender como criar blogs, como publicar vídeos no Youtube e mais quaisquer outros recursos que possam ampliar a capacidade de estudo e investigação dos alunos. Os professores mais velhos, que entraram para esta profissão em tempos onde não havia tudo isso sendo estimulado, não podem rejeitar o seu uso, nem desqualificar essa ferramenta. Ao contrário, devem ser estimulados pelos coordenadores e diretores das escolas a participar de treinamentos que os capacitem a usar as TICs de forma eficiente.


Uma das grandes dificuldades para a implantação total do uso de TICs nas escolas é a falta de estrutura e recursos. E os próprios educadores, a maioria das vezes, tem que aprender a ter o domínio das novas tecnologias com seus próprios recursos, o que é também difícil.

Mas caminhos devem ser encontrados para isso, pois o mundo hoje não permite que nos coloquemos à parte do desenvolvimento tecnológico de forma geral. Não há como promover uma educação atrativa para os alunos destes tempos, sem o uso dessa tecnologia. O modelo tradicional de educação, onde o aluno era um elemento totalmente passivo, não é mais possível. A construção do conhecimento com a participação de todos, alunos e educadores, família e sociedade, é o novo modo de pensar educação.

A questão é que o uso das TICs coloca o educador na condição de aprendiz, pois desafia-o a dominar essas tecnologias.

Não há como fugir, o mundo mudou e muda a todo instante. O que não acontece com a educação, que anda em ritmo mais lento.

As tecnologias só acrescentam novas e variadas formas de aprender. É preciso reconhecer que esses recursos são importantes aliados no ambiente escolar, tanto para os educandos quanto para os educadores. Marcam uma nova fase para a educação que permite desmistificar o modelo tradicional. Através dessas novas ferramentas de aprendizado o educando é estimulado a discutir, refletir, questionar e expor suas opiniões acerca do conhecimento.

Existem várias formas de inserir a tecnologia na escola, veja algumas ideias dessas escolas:

Produzindo um e-book

Neste projeto participante do Prêmio Weducation, em 2015, professores do Colégio Internacional Emece propuseram um trabalho de leitura e produção de texto do livro “The Adventures of Tom Sawyer” ("As Aventuras de Tom Sawyer"), de Mark Twain. Enquanto as crianças do primeiro ciclo do Ensino Fundamental fizeram a leitura de trechos do livro, as turmas do 7º ano produziram dois e-books ilustrados para os alunos menores.

 

Um blog cheio de conteúdo

Nesta experiência realizada com os alunos do 3º e 4º ano do Ensino Fundamental, a turma teve que produzir um blog interdisciplinar para compartilhar os conhecimentos adquiridos em sala de aula. Para isso, eles pesquisaram sobre conteúdos de diversas disciplinas e realizaram experiências práticas no laboratório de Ciências.

 

Partituras virtuais

Desenvolvido pelos professores de Educação Musical e Linguagem de Programação, este projeto convidou a turma a realizar um trabalho de exploração do pensamento lógico por meio da programação de músicas. Durante o projeto, os alunos criaram partituras virtuais de trilhas sonoras dos filmes estudados nas aulas e aprenderam a reconhecer a programação de computadores como uma linguagem.

 

Um dicionário virtual feito pelas crianças

Para inserir a tecnologia nas aulas da Educação Infantil, professoras do Colégio Internacional Ítalo-Brasileiro, em São Paulo, tiveram a ideia de produzir um dicionário virtual. Cada aluno ganhou uma conta no Google e, trabalhando com o Word, explorou o próprio nome e a escrita de palavras considerando a ordem alfabética.


Sua família consome muita energia elétrica?

Com o objetivo de identificar os impactos sociais e ambientais provocados pela produção de energia elétrica, os alunos pesquisaram o gasto na residência de cada um, montaram planilhas eletrônicas com os dados e, ao final do trabalho, criaram um folheto informativo com dicas para redução de consumo de energia.

 

Outras formas de inserir a tecnologia no ensino

Matemática

Tenho duas crianças, que estudam no 2º e 5º ano do ensino fundamental. São crianças ativas que além da escola, possuem atividades extras como esporte e inglês. Quando chegam em casa, geralmente cansados, não querem fazer a lição de casa.

Nesse momento tecnológico em que vivemos, decorar e copiar palavras se tornou algo cansativo e nada atraente. Por que não aproveitar esse momento e estimular os jogos de raciocínio? Pesquisar um assunto e fazer um vídeo falando do tema? Criar uma “reportagem” pensando em soluções para problemas no bairro, na cidade?

A tecnologia só traz mais ferramentas para repensar e reformular o ensino em geral. A criança possui naturalmente o instinto de explorar, são curiosos, acompanham o avanço tecnológico no mesmo ritmo que ele acontece. E o ensino tradicional vai ficando maçante, ultrapassado para as “crianças do futuro”.

Noto que quando eles têm uma tarefa “tecnológica” a postura deles é muito diferente. Existe vontade e entusiasmo em fazê-la.

No colégio utilizam a plataforma Matific que possui atividades matemáticas baseadas em investigação, planilhas de trabalho e problemas de palavras. Projetado para pensamento crítico e compreensão conceitual, estimula a descoberta e a curiosidade sem riscos.

Segundo a Sharon Rowe, Diretora, FootPrints Special Needs Preparatory School:

“Matific permitiu que cada criança de nossa escola pudesse trabalhar e ter êxito no seu próprio ritmo. Os alunos mal podem esperar pela hora do tablet, de tão entusiasmados que estão para ganhar estrelas ao final de cada atividade. Matific proporcionou aos nossos alunos com necessidades especiais uma maneira de aprender conceitos matemáticos que antes eram desafiadores para eles. É divertido, educativo e aberto para todos os tipos de necessidades de aprendizado.”

Outra plataforma utilizada é o Mangahigh que possui exercícios online em formato de games. O aluno joga e ganha medalhas virtuais, que o classifica em uma espécie de torneio online disputado com outros colegas.

No Brasil, cerca de 50 escolas adotaram a Mangahigh como ferramenta de estudo. No mundo, são mais de 5 mil instituições de ensino. Cerca de 1,7 milhão de usuários resolvem até 3 milhões de exercícios por dia. A ferramenta online desenvolvida na Inglaterra tem o design inspirado nos animes (animações japonesas) e mangás (quadrinhos japoneses), bastante populares entre os jovens na última década. Sendo assim, o ambiente descontraído ao qual o aluno é exposto faz com que a aprendizagem ocorra de maneira divertida e eficaz.

Ambas as plataformas são alinhadas com a BNCC.

Inglês

A tecnologia não pode faltar nas aulas de inglês, que devem ser atrativas e dinâmicas. As músicas internacionais preferidas do momento podem ser um belo estímulo e aprendizado com vídeos clipes que podem ou não serem legendados em inglês, estimulando a escrita e a escuta do som.

Para as crianças que ainda não sabem ler, os filmes e desenhos em inglês são ótimos aliados.

Um exemplo disso é um desenho chamado Pingu, que mostra a história de uma família de pinguins. Os personagens se comunicam com gestos e emitem sons, pois sua língua original não é um idioma atual. A língua falada no desenho é do século 16, que os palhaços inventaram para as suas peças de humor de rua. Mas as crianças entendem todo o contexto.

Os desenhos em inglês se assistidos com frequência pelas crianças pequenas trarão um ótimo resultado na aprendizagem desse idioma.

Há também diversos aplicativos para todas as idades que ensinam inglês ou outros idiomas.

A tecnologia está aí e precisamos usá-la a nosso benefício. Na educação não é diferente, existem milhares de formas de inseri-la trazendo novas ferramentas de ensino. As crianças aprendem numa velocidade incrível e são capazes de nos ensinar muitas coisas.

Eu como mãe vejo que eles já estão inseridos no mundo tecnológico, pois nasceram nele.

Aquelas crianças que são totalmente proibidas de utilizar a tecnologia porque os pais não a consideram importante, ou crianças que ainda não puderam ter acesso por não terem oportunidade, podem ser prejudicadas no futuro e terem dificuldades no mercado de trabalho, pois terão que aprender de alguma forma. O mundo deles será cada vez mais tecnológico.

 

Fontes:

 

Educação do Futuro
Dani Nalini
Dani Nalini Seguir

Mãe do Pedro e da Clara!

Ler conteúdo completo
Indicados para você